VEJA COMO É FACIL OUVIR A WEB RÁDIO ALTERNATIVA DE COLIDER EM SEU CELULAR

VEJA COMO É FACIL OUVIR  A WEB RÁDIO ALTERNATIVA  DE COLIDER EM SEU CELULAR
Latest Post

Empresa admite prejuízo, mas planeja novos jogos na Arena Pantanal

Publicado por JOEL DE AQUINO | segunda-feira, 6 de julho de 2015 | 18:50

Ingressos caros demais afugentaram o público neste domingo, como ocorreu em outros jogos como Fla X Vasco e Cruzeiro X Corinthians

 

O ex-atacante Roni, com passagens por Flamengo, Atlético-MG e Goiás, hoje dono da empresa Roni 7 - compradora de jogos do Campeonato Brasileiro em vários estádios, inclusive na Arena Pantanal - afirmou que a média de público do ano passado do estádio milionário na capital matogrossense não foi mantida em 2015, apesar das tentativas em trazer jogos de grandes clubes para a cidade.

Segundo o empresário os jogos estão, de modo geral, dando prejuízo ou rendendo menos do que o esperado, a exemplo da disputa entre Palmeiras e Ponte Preta do último domingo, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, com vitória palmeirense por 2 a 0.

A Ponte Preta, que tinha mando de jogo, vendeu a partida por R$ 700 mil à Roni 7. O público presente de cerca de 15 mil torcedores, sendo 11.074 pagantes, não atendeu às expectativas novamente. A renda total foi de cerca de R$ 800 mil. 

“Temos mais alguns projetos para a Arena Pantanal este ano, vamos insistir um pouco mais”, disse o empresário. “Uma hora a coisa acontece”, acredita ele

Eu esperava pelo menos mais 5 a 6 mil pessoas. Deu prejuízo e assim não está legal. Não estamos conseguindo manter o público do ano passado”, confirmou Roni, se referindo ao período pós-Copa, em que os torcedores embalados pelo sucesso do mundial e a novidade da Arena grandiosa na cidade voltaram a frequentar o estádio. 

“Temos mais alguns projetos para a Arena Pantanal este ano, vamos insistir um pouco mais”, disse o empresário. “Uma hora a coisa acontece”, acredita ele.

Se o público neste domingo ficou abaixo do esperado do ponto de vista do empresário, o Palmeiras não pode reclamar. Maioria dos torcedores de Cuiabá enrolou na bandeira verde e branca, para acabar com o frio de 18 graus incomum na capital mato-grossense, e empurrou o clube alviverde até a vitória na disputa "fora de casa" com o time de Campinas.

Os dois gols – ambos assinados pelo atacante Dudu - saíram no primeiro tempo. No segundo tempo, o Palmeiras apenas segurou o placar, diante de um adversário, que, sem torcida, não ameaçou. A arquibancada da Ponte Preta estava vazia e inexpressiva.

O engenheiro Marcio Anderson Luiz, 38 anos, pintou o cabelo com spray verde para ir ao jogo, com a mulher e o filho. Sempre faz isso para incentivar o Palmeiras. “Na década de 90 o time estava em ascensão. Eu era criança e decidi por conta própria que ia ser palmeirense”, conta o engenheiro. Depois o time começou a declinar, mas a paixão virou amor. Segundo ele, torcida que tem tradição é assim. “Ganhando ou perdendo, está sempre lá”.

Frigorífico encerra atividades e demite 700

A crise no setor de frigoríficos se agrava a cada dia em Mato Grosso com o fechamento de novas unidades e demissões em massa. Nesta segunda-feira (6), a Minerva Foods anunciou o fechamento da planta de Mirassol D´Oeste (300 Km a oeste da Capital) e a demissão dos 701 funcionários da unidade. Com isso, já são 18 frigoríficos paralisados no Estado, sendo que 2 unidades fechadas neste ano são da JSB/Friboi, a gigante mundial do setor de processamento de proteína animal, localizadas em Cuiabá e São José dos Quatro Marcos (a 315 km de Cuiabá).

Em nota, a Minerva informou que decisão de encerrar a operação na cidade representa uma readequação das operações da companhia no Brasil como forma de obter melhorias de eficiência em rendimento, economia de custos por aumento da otimização da capacidade instalada e incremento de rentabilidade por reequilíbrio geográfico de suas operações. A empresa também anunciou no começo deste mês o fechamento de uma unidade que funcionava na cidade de Batayporã (MS) afirmando que a paralisação integra o "plano de readequação" de suas operações no país.

A empresa ressalta que “estão garantidos todos os direitos trabalhistas dos funcionários da planta que forem desligados e que não deixará nenhuma pendência financeira com os colaboradores, com o Estado e com a cidade de Mirassol D´Oeste”. Também informa aos seus clientes dos mercados interno e externo que o encerramento de operação “não acarretará nenhum impacto, pois, neste processo de ajuste operacional, as demandas serão absorvidas por outras unidades”.

Na semana passada, a JSB anunciou o fechamento de uma unidade que operava em Cuiabá empregando 494 trabalhadores. A empresa também já tinha fechado, em maio, uma unidade instalada em São José dos Quatro Marcos (a 315 km de Cuiabá) que empregava 724 funcionários. Entre as justificativas divulgadas em nota, a empresa relatou dificuldade de matéria-prima, ou seja, falta de gado para o abate, entre outros problemas.

Destacou que o fechamento de devem às atuais condições de mercado, em que a baixa disponibilidade de matéria -prima tem provocado aumento de ociosidade em algumas regiões do país. Empresários do setor bem como sindicalistas afirmam que a diminuição na oferta de bovinos para o abate em Mato Grosso eleva a ociosidade dos frigoríficos e dessa forma chega um momento em que é preciso reduzir custos o que resulta em fechamento de unidades e redução de postos de trabalho.

No mês passado, o município de Sinop também foi surpreendido com a paralisação das atividades no frigorífico da Frialto que operava na cidade empregando cerca de 600 funcionários e com capacidade para abater 500 animais por dia. A empresa enfrentou uma crise financeira e pediu recuperação judicial em 2010. A dívida estava estimada em R$ 564 milhões.

Conselho Nacional de Justiça afasta tabelião


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) acolheu liminarmente pedido de providências efetuado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 7ª Promotoria de Justiça Cível de Várzea Grande, e determinou o afastamento do tabelião interino do 2º Serviço Notarial e Registral do Município. O gestor responde a procedimentos administrativos.

 Também pesam contra ele denúncias de supostas falsificações de documentos públicos, fraude na utilização de selos digitais e cobranças abusivas de emolumentos na prática dos atos notariais.

De acordo com o MPE, o tabelião interino foi afastado do cargo em maio deste ano por decisão proferida pelo juiz Luis Otávio Pereira Marques, diretor do Foro. Na sequência, o requerido ingressou com dois recursos administrativos, um na própria Diretoria do Foro e o outro na Corregedoria Geral de Justiça.

“Ao receber o recurso, o juiz corregedor permanente somente o fez no efeito devolutivo, negando efeito suspensivo dado o evidente risco de perpetuação da irregularidades. Já o Corregedor Geral de Justiça do Estado de Mato Grosso, em substituição regimental, acolheu o pedido do tabelião interino”, explicou o promotor de Justiça Rodrigo Barbosa de Abreu.

Segundo ele, por se tratar de matéria administrativa, o Ministério Público ingressou com pedido de providências no CNJ para reverter a decisão. Na quinta-feira (2), a Corregedora Nacional de Justiça, Ministra Nancy Andrighi, acolheu o pedido do MPE e determinou liminarmente um novo afastamento. Até o julgamento do recurso administrativo, a 2ª Serventia Registral e Notarial da Comarca de Várzea Grande ficará a cargo da bacharel em Direito, Jamilly Castro da Silva.

Na decisão, a Corregedora Nacional determina a expedição de ofício ao presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso e à Corregedoria-Geral para manifestação no prazo de 10 dias acerca dos fatos alegados na inicial.


Fonte VGNEWS

'Estudava na cela', diz detento que cursa arquitetura na UFMT


Foto: Diretoria CRC/arquivo
A vontade de começar uma nova vida e o esforço garantiu ao reeducando Patrick Almada, que cumpre pena no Centro de Ressocialização de Cuiabá, uma vaga na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Condenado a 9 anos e 10 meses de prisão, ele prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2013 e foi aprovado para o curso de arquitetura.

“Eu pegava os livros, estudava na biblioteca ou dentro da cela”, disse o universitário. Ele começou o curso no segundo semestre do ano passado, pois cumpriu 22 meses da pena em regime fechado. O cursinho preparatório é ministrado na unidade prisional através da Fundação Nova Chance (Funac).

Patrick frequentava as aulas quatro vezes por semana. No total, estudava cerca de 8 horas por dia, contando com as aulas dentro sala de aula, que duravam 4 horas. Como Patrick já tinha terminado o ensino médio, ficou apenas como ouvinte para fazer o exame nacional e poder ingressar no ensino superior.

Ele estudou oito meses para a prova de 180 questões, aplicada em dois dias, ele disse que a prisão foi uma forma de refletir sobre o futuro. “A gente começa dar a valor em detalhes que a gente não presta atenção, como o estudo, por exemplo,” avaliou.

O estudante de 30 anos está no 2º semestre e disse que estava gostando do curso e pretende seguir a carreira. No período da manhã o reeducando vai para o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), onde presta serviços. Já no período vespertino e noturno ele vai para a faculdade e à noite segue para casa dos pais, onde passa a noite.

Segundo Patrick, o apoio da família e da direção do Centro de Ressocialização de Cuiabá foi fundamental para que sentisse vontade de retomar os estudos. Ele era funcionário público e não tinha tempo para estudar. “Pensava só em trabalhar, não tinha tempo. Aqui me fez pensar. Se não estivesse preso, dificilmente estudaria, não teria coragem”, comentou.

O reeducando fez o Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL) em data diferente dos demais candidatos. Obteve 733 pontos e numa disputa com 140 pessoas ficou em 7º lugar. A prova foi feita 30 dias depois da data oficial do Enem, mas que a inscrição foi feita no mesmo período dos demais candidatos.

O diretor do Centro de Ressocialização de Cuiabá, Winkler de Freitas Teles, não mede elogios a Patrick. “É uma excelente pessoa, só tenho elogios a fazer dele. Realmente, ele ressocializou e está pronto para se reintegrado à sociedade”, declarou.

Em janeiro do ano que vem, ele deve concluir a pena no regime semiaberto e disse estar ansioso para que esse dia chegue logo. “Estou bastante ansioso tudo. É um novo começo. Uma chance de reconstruir a vida” citou o estudante.

Os recuperandos são alfabetizados pela Fundação Nova Chance (Funac) e pelo projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2014, a Funac ofertou os cursos de ajudante de obras, auxiliar administrativo carpinteiro de obras, confeiteiro, costureiro, instalador hidráulico residencial, manicure e pedicure, marceneiro e pedreiro pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Já neste ano são ofertados cursos de qualificação profissional de trança e penteado, pintura em telha, pintura em imagens sacras na telha e pintura imagens sacras na telha, além de construção civil, administrativo e recursos humanos.


Deputado fala em risco de 'morte' da Comissão, mas 'garante' resultados

Bezerra garanta que a CPI da Copa não terminará em pizza

 

O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), presidente da CPI das Obras da Copa, que está parada há três semanas com fortes sinais de que já perdeu suas forças para apurar e investigar o caos nas obras inacabadas, disse ao Repórter MT, que não lançará mão de segurança policial para continuar os trabalhos.

É que o próprio parlamentar disse informalmente, na última semana, em conversa com jornalistas, que a família dele tem temido pela sua segurança pessoal, considerando o fato de a CPI estar investigando dezenas de empresas e empresários  suspeitos. E como as informalidades 'vazaram', o deputado  acabou sustentando que sua família tem de fato receio, pois afinal, segundo ele,  as investigações envolveria muitos interesses.

“São bilhões que estão envolvidos, mas eu apenas continuarei tendo a proteção de Deus, até porque se algo acontecer comigo, seria óbvio saber de onde viria, portanto eu acho exagero [ter segurança policial], e eu continuo contando com as orações e a fé quem temos no criador”, disse.

Enquanto isso, estática, a CPI que já ouviu  várias pessoas ligadas direta e indiretamente às obras da Copa, não tem sequer programação de continuidade.

Isso tem feito o trabalho até agora realizado e o que ainda falta a ser feito, cair em descrédito, embora Bezerra garanta que a CPI da Copa não terminará em pizza.

Atualmente o maior entrave estaria na assinatura de um acordo junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), denominado Termo de Ajustamento de Gestão (TAG), por meio do qual, uma empresa ligada à Unemat, assumiria a assessoria técnica da CPI e, assim, os trabalhos seriam recomeçados. 

Oscar Bezerra informou que a assinatura do TAG vai depender muito da “disponibilidade técnica” do TCE.

Desde março passado, quando da instalação da CPI já foram ouvidos técnicos ligados ao governo Pedro Taques (PDT), que fizeram alguns levantamentos técnicos (auditorias) e também pessoas ligadas à gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB). O mais expressivo dos que já depuseram à CPI, foi Eder Moraes, ex-secretário da Secopa e que encontra-se preso em Cuiabá

Sem a tal empresa de consultoria e assessoria técnica, os membros da CPI não se sentiriam seguros, em termos de informações, para convocar o ex-governador Silval e o ex-secretário também da Secopa, Maurício Guimarães, sucessor de Eder.

O ex-deputado José Riva também deve ser ouvido pela Comissão, mas somente depois que CPI estiver devida estruturada para interrogá-lo.


Um dos rivais da CPI é o tempo, uma vez que os trabalhos têm prazo para serem encerrados, ou seja, a duração da Comissão de Inquérito tem prazo inicial de 120 dias para serem concluídos. 80 já se passaram. Porém, legalmente os trabalhos poderão ser prorrogados por mais 60 dias.

Operação do Gaeco prende de novo ex-deputado José Riva

Publicado por JOEL DE AQUINO | quarta-feira, 1 de julho de 2015 | 05:08

Ele estava em sua residência, no bairro Santa Rosa, em Cuiabá, quando foi detido

 
O ex-deputado José Riva, que foi preso de novo em Cuiabá
 
O Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado) prendeu, na manhã desta quarta-feira (1), o ex-deputado José Riva (PSD).

Ele foi detido em sua residência, no bairro Santa Rosa, em Cuiabá.
 
O ex-parlamentar é acusado de participar de um esquema de desvio de dinheiro público na Assembleia Legislativa, por meio de empresas fantasmas.

Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), entre 2005 e 2009, foram desviados R$ 62 milhões, em valores corrigidos, dos cofres do Legislativo.

Riva havia sido colocado em liberdade há uma semana, após passar quatro meses detido preventivamente no Centro de Custódia da Capital.

A operação do Gaeco desta manhã também tem como alvo outros servidores da Assembleia Legislativa.

A informação é de que o ex-secretário de Finanças do Poder, Márcio Pommot, também foi detido.

Neste momento, agentes do Gaeco realizam busca e apreensão de documentos e computadores na sede da Assembleia.

"Sem necessidade"

A deputada estadual Janaina Riva (PSD) reclamou da prisão de seu pai, em uma rede social.

"É uma prisão desnecessária. Ele está de tornozeleira e cumprindo outras medidas restritivas, como não poder sair de Cuiabá. Depois que foi colocado em liberdade, há uma semana, ele mal saiu de casa", disse.

Agentes continuam na Assembleia

Pelo menos seis agentes do Gaeco continuam na Secretaria de Controle Interno na Assembleia.

Eles estão no local desde às 6 horas, recolhendo documentos e apreendendo computadores.
 
 
Fonte Midia news

Seleção de futsal de Guarantã do Norte se classifica para a 3ª fase da Copa Centro America

Nesta equipe está o peixotense David Neto
Seleção de Futsal de Guarantã do Norte\MT, esteve neste final de semana (26 e 27), participando da segunda fase da Copa Centro América, na cidade de Sinop, que além da equipe da casa, também contou com a participação das equipes de Sapezal, Nova Mutum e Guarantã do Norte.

Em um grupo, considerada como “grupo da morte” a equipe de Guarantã do Norte, se saiu muito bem, se classificando em segundo lugar e com isso passando para a terceira fase da copa.  Segundo o Professor Clodoaldo, técnico da equipe, o objetivo foi alcançado, que seria alcançar mais uma fase. “Sabíamos que não seria fácil, o grupo era muito forte, mas sobrevivemos, e estamos na terceira fase”, disse o técnico em entrevista para a rádio continental, que esteve transmitindo os três jogos de Guarantã do Norte.

Guarantã do Norte, agora joga na cidade de Rondonópolis, entre os dias 10 e 11 de julho, e enfrentará as equipes do Arão (Rondonópolis) e Lucas do Rio Verde.

A seleção de Guarantaense fez três jogos, vencendo um e empatando dois, resultados estes que deram o segundo lugar no grupo, a seleção da cidade de Sapezal, ficou em primeiro do grupo.

Confira os resultados:
Seleção de Guarantã do Norte 03 X 03 Sinop (Sexta-feira à noite);
Seleção de Guarantã do Norte 02 X 01 Nova Mutum (Sábado de Manhã);
Seleção de Guarantã do Norte 03 X 03 Sapezal (Sábado no período da noite).
ROTEIRO NOTICIAS
.

WEB RADIO ALTERNATIVA

WEB RADIO ALTERNATIVA